artistas

Turma do Pagode fala da carreira, 2016 e projetos futuros

23 de dezembro de 2016, 10h11, por Alexandre Murari
Divulgação

Amigos de infância crescidos na Zona Norte de São Paulo-SP, em um bate-papo especial com a redação da Kboing, os músicos da Turma do Pagode falaram sobre o início da carreira, como rolou a parceria com Netinho de Paula, influências musicais, planos para 2017 e muito mais!

→ Ouça as 10 mais da Turma do Pagode

"Em 1994 formamos o grupo Art de Amar e começamos a tocar na noite. Em 2000 fazíamos um pagode de mesa na Zona Norte de São Paulo, que era um sucesso, e nessa época conhecemos o Netinho de Paula. Ele teve a ideia de transformar o pagode de mesa em CD e sugeriu o nome Turma do Pagode Nós gostamos da ideia e aposentamos o antigo nome e adotamos Turma do Pagode", revela Thiagão, que aproveita para pontuar que, assim como em qualquer situação da vida, as dificuldades surgem como obstáculo para que o sucesso possa ser alcançado:

"Como qualquer artista passamos por grandes dificuldades, especialmente, no início da carreira, mas nunca pensamos em desistir. Acreditamos que nossa carreira vem se solidificando mais a cada trabalho e é gratificante ver o que conquistamos."

Divulgação

E por falar em conquistas, não precisa ser nenhum fã de pagode para conhecer os sucessos emplacados pela Turma do Pagode. Sobre as canções e a escolha de um setlist que tenha uma boa repercussão, o percussionista conta que "O repertorio é um fator determinante para o sucesso de todo artista e em nossa trajetória tivemos algumas músicas muito marcantes. Mas a canção que ajudou o Turma do Pagode a ser conhecido em todo o país foi "Lancinho" do DVD O Som das Multidões".

O grupo, que tem Fundo de Quintal, Zeca Pagodinho, Leci Brandão e Jovelina Pérola Negra como principais influências, também deixou claro que o processo de composição vem do resultado da união de muita coisa:

As letras falam de situações do cotidiano e as inspirações são histórias vividas por alguém do grupo e conhecidos ou histórias contadas por alguém. E tem também aquelas situações em que surge uma ideia maluca e a gente coloca no papel", crava o cavaquinhista Marcelinho TDP, que aproveita para revelar como foi colher os frutos que deram algumas composições em 2016, principalmente por lançar o DVD XV Anos, que celebra os 15 anos de carreira do grupo:

"Foi um ano excelente e de muito trabalho! O primeiro show foi no Espaço das Américas, em São Paulo, e de lá pra (sic) cá viajamos por várias cidades e estados. Os três singles lançados nas rádios - "Deixa em Off", "Puxa, Agarra e Beija" e "Beija Aqui" também alcançaram excelente execução em todo o país".

Pelo visto, se depender do grupo, 2017 promete muito mais! É o que revela Thiagão ao falar sobre os planos para este ano que está para entrar: "Em 2017, vamos continuar viajando pelo país com a turnê XV Anos e será mais um ano de muito trabalho. E em janeiro, reestreia na Audio Club, em São Paulo, o projeto Tamu Junto com shows todas as terças de janeiro."

Comentários