artistas

Sesc Rio Preto realiza o projeto Negrura

14 de novembro de 2019, 14h20, por Amanda Ramalho
Divulgação

Desde o dia 9 de novembro o Sesc Rio Preto realiza o projeto Negrura, que reúne atividades de diferentes linguagens no mês em que é celebrado o Dia da Consciência Negra. O projeto segue até o dia 23 deste mês.

O projeto propõe valorizar a negritude trazendo visibilidade e representatividade à experiência negra contemporânea, por meio de apresentações musicais, espetáculo de teatro, oficinas, debates e experimentações artísticas, com vistas a apresentar um painel plural sobre produção artística e cultural de artistas negros e negras na atualidade, além de discutir temáticas urgentes para a uma vivência digna e democrática da comunidade afro-brasileira. Neste ano, o recorte da programação dialoga com a identidade negra em diversos campos de expressão.

Confira a programação a partir do dia 16 até 23 de novembro:

OFICINA - MOCHILAS COM SUA CARA
Com Geisa Antunes, educadora e criadora das mochilas Melanin.
Toda criança quer brinquedos e acessórios com os quais se identifica. Porém, para as crianças negras, o padrão de beleza branco diminui as possibilidades. Nesta oficina, pais e filhos criarão mochilas que são - literalmente - a cara de cada criança, além de refletir sobre colorismo, diversidade e representatividade.
Dia: 16, sábado, das 14h às 16h.
Espaço de Tecnologias e Artes. Livre. Grátis. Inscrições no local.

CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS - HISTÓRIAS DO MUNDO PARA O MUNDO CONTAR
Com a atriz Aretha Sadick e o músico Alexandre Kanashiro, da Cia do Sal.
A partir de contos populares de vários lugares do planeta, vamos mergulhar em histórias sobre a criação do mundo, dos alimentos e a brevidade humana. Viajando pela brasilidade africana e indígena, o espetáculo é composto por três histórias: "A Criação do Mundo", "A Lenda do Milho" e "Itty".
Dia: 17, domingo, às 15h30.
Gramado. 60 vagas. Grátis. Livre

BATE-PAPO - A PRESENÇA NEGRA NAS ARTES
Com Samuel de Saboia, artista visual, e Priscila Rezende, artista visual e performer. Mediação: Adriana Couto, jornalista e apresentadora da TV Cultura.
Há muito tempo as artes visuais são apontadas como a linguagem mais branca e elitista de todas. Além da pouca visibilidade aos artistas negros, a comunidade negra encontra dificuldades para ocupar este espaço até mesmo como público. Nesta mesa, os convidados discutem o assunto e compartilham suas criações, iniciativas e atitudes para afirmar o negro como artista e estética.
Dia: 19, terça, das 20h às 22h.
Teatro. 228 lugares. Grátis. Livre. Retirada de ingressos com 30 minutos de antecedência.

VIVÊNCIA - CRIAÇÃO CONJUNTA
Com Samuel de Saboia e Daniel Firmino, artistas visuais.
Uma tarde para experimentações acompanhado de dois grandes criadores: o recifense Samuel de Saboia e o rio-pretense Daniel Firmino. Um espaço com tintas, telas e pincéis para trocar experiências e vivenciar livremente a criação artística.
Dia: 20, quarta, das 14h30 às 16h30.
Espaço Oficina 1. Grátis. Livre. Inscrições no local.

INTERVENÇÃO - MC KAMILA ANDRADE
A mestre de cerimônia desta noite vem de Ribeirão Preto para representar a força feminina no hip hop. Rimadora desde 2012, entrou no movimento em 2014 para multiplicar sua voz e em 2016 se tornou a primeira mulher vice-campeã do Circuito Paulista de Batalha de MCs.
Dia: 20, quarta, às 18h30.
Comedoria. Área Externa. Grátis. Livre

INTERVENÇÃO - 80 DISCOS: 1 MANIFESTO
Com DJ Thiago Rude.
Um set com 80 discos de música negra - do jazz ao samba - homenageia o músico Evaldo dos Santos Rosa e o catador Luciano Macedo, mortos após o disparo de mais de 80 tiros contra um veículo no Rio de Janeiro. Para cada disparo, um grito musical.
Dia: 20, quarta, às 18h30.
Comedoria.  Área Externa. Grátis. Livre

FEIRA CULTURAL INDEPENDENTE - NEGRA FEIRA
Artesãos e criadores negros de Rio Preto e região expõem seus trabalhos.
Dia: 20, quarta, das 19h às 22h.
Comedoria. Grátis. Livre

INTERVENÇÃO CABELIN CHAVOSO
Com os barbeiros Josyas Mendes e Luiz Fernando Gualberto.
Cortar cabelo é uma arte. Responsáveis por fazer a cabeça de Mano Brown, Ed Motta e Seu Jorge, Josyas e Luiz Fernando, vão criar cortes e penteados ao vivo para mostrar a plasticidade do cabelo afro. O resultado são obras cheia força, história e identidade e que poderiam ser expostas em galerias de arte.
Dia: 20, quarta, das 19h às 21h.
Comedoria. Grátis. Livre. Inscrições pelo site sescsp.org.br/riopreto ou na central de atendimento.

INTERVENÇÃO SABOIA AO VIVO
Com Samuel de Saboia, artista visual.
Da periferia de Recife para grandes galerias do mundo: esta é a jornada de Samuel de Saboia aos 22 anos. Uma das revelações das artes visuais brasileiras e comparado ao americano Basquiat, o artista recifense já expôs em São Paulo, Paris e Los Angeles e vai criar ao vivo uma de suas obras.
Dia: 20, quarta, das 20h às 22h.
Comedoria. Grátis. Livre

SHOW NEGRA LI
Cantora e compositora com mais de 20 anos de carreira e uma das principais vozes femininas do rap brasileiro, Negra Li apresenta um show inspirado nos grandes bailes de música black dos anos 90. No repertório, as músicas de seu mais recente álbum, “Raízes”.
Dia 20, quarta, às 21h30.
Comedoria. Grátis. 16 anos

INTERVENÇÃO STRANGE FRUIT - 80 ANOS DEPOIS
Com Coletivo Coletores e os músicos Bárbara Silva, Esdras Nunes e Ilson Ribeiro. Direção Alex D’Arc.
Em 1939, a cantora de jazz Billie Holiday gravou sua canção mais emblemática e uma das maiores músicas de protesto do século 20: Strange Fruit. Exatos 80 anos depois, a música continua atual ao falar da violência contra a população negra.
Dia: 20, quarta, às 20h30.
Comedoria. Grátis. Livre

WORKSHOP CORTES E CUIDADOS PARA CABELO AFRO
Com Josyas Mendes e Luiz Fernando, barbeiros.
O barbeiro mais conhecido dentro e fora do Capão Redondo compartilha conhecimentos e macetes que fazem a cabeça de rappers, manos e da moçada descolada. Os participantes serão introduzidos ao corte afro, apresentando características dos cabelos crespos e técnicas de corte.
Dia: 21, quinta, das 19h às 22h.
Sala Expressão Artística. 30 vagas. Grátis. Livre

BATE-PAPO BASTIDORES DA RELEITURA
Com Jé Oliveira, diretor e idealizador do espetáculo, Gota D’Água {Preta}
Fundador do Coletivo Negro e indicado ao Prêmio Shell 2019 na categoria Inovação, o diretor abre as portas da montagem para compartilhar com o público a concepção desta releitura, a importância da ocupação negra neste clássico do teatro brasileiro e as questões sociais levantadas pela produção.
Dia: 23, sábado, das 16h às 17h.
Teatro. 40 vagas. Grátis. 12 anos. Entrega de senhas no local da atividade com 30 minutos de antecedência.

ESPETÁCULO GOTA D'ÁGUA {PRETA}
Texto e Dramaturgia: Chico Buarque e Paulo Pontes. Direção Geral, concepção e idealização: Jé Oliveira.
Joana é uma mulher madura, sofrida, moradora de um conjunto habitacional e preste a ser despejada com os filhos. Jasão é jovem, sambista e a caminho do sucesso. A partir de uma traição conjugal, o espetáculo acrescenta novas camadas à obra de Chico Buarque e Paulo Pontes ao povoá-la pela primeira vez com um elenco predominantemente negro e unir os clássicos de Chico ao funk e ao hip hop. Uma releitura em que a realidade racial e periférica assume o protagonismo.
Dia: 23, sábado, às 19h30.
Teatro. 228 lugares. 14 anos.
Ingressos à venda: R$9,00 (Trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo com credencial plena válida); R$15,00 (Aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor da escola pública com comprovante) e R$30,00 (Demais interessados).

Fique por dentro de todas as notícias que rolam por aqui! Curta a nossa página no Facebook!

Comentários