artistas

Mesmo após aposentadoria de Paul Stanley e Gene Simmons, KISS pode continuar

22 de junho de 2021, 15h07, por Amanda Ramalho
Reprodução Instagram KISS

A turnê de despedida do KISS, "End Of The Road", precisou ser adiada por causa da pandemia, depois de quase dois anos rodando nos Estados Unidos.

O giro pelo mundo deve terminar em 2022, assim que o grupo conseguir retornar aos palcos e após esse período, é bem provável que realmente venha a aposentadoria de Paul Stanley e Gene Simmons.

Em entrevista a "Radio Bob", da Alemanha, Paul contou que o grupo continuaria a existir se surgisse a versão 2.0 do KISS.

"O Kiss pode continuar e pode evoluir sem nós? Acho que sim, porque já é 50%. Em outras palavras, houve um tempo em que as pessoas diziam: 'Só pode ser o quarteto original". As circunstâncias mudam e as coisas seguem em frente. Por mais que eu seja um grande fã do que faço – e acho que sou muito bom – há outras pessoas por aí que poderiam chegar e trazer algo para a filosofia, para os shows ao vivo ou para a música. Seria o Kiss. Não seria o Kiss 2.0. Se isso acontecesse, sim, seria realmente apenas uma continuação da filosofia que sempre tivemos, e é isso que é o Kiss, maior do que qualquer integrante", declarou o músico.

E aí, você acha que o KISS seria tão bom sem Paul Stanley e Gene Simmons?

Fique por dentro de tudo o que rola no mundo da música. Curta nossa página no Facebook!

Ouvir músicas do KISS

Comentários