Entrevista: Tomate

12 de maio de 2009, 16h00, por Da redação, por Tatiana Pires

O cantor Tomate em entrevista exclusiva ao site Kboing contou que tem planos para lançar seu primeiro DVD este ano.

Ouça Tomate no Kboing

Energia e irreverência em cima do trio. Seu nome é Fabrício Cardoso Kraychete, que em 2007 incluiu “Tomate” no documento, agora é “Fabrício Tomate Cardoso Kraychete”.

Quando integrava o grupo Rapazolla ganhou o prêmio cantor revelação do carnaval de Salvador de 2005, era o reconhecimento do seu trabalho.

O Kboing revela um pouco mais desse irreverente cantor:

Kboing – Como e quando foi o início de sua carreira como cantor?
Tomate –
Comecei quase de brincadeira, participei de um concurso de novas bandas no colégio onde eu estudava e ganhei com uma turma que veio a ser a minha primeira banda. O nome do grupo era Só de H. E foi assim, logo comecei a cantar na noite e passei a fazer shows profissionais.

Kboing – Foram sete anos no comando da banda Rapazolla, o que você aprendeu nesse período?
Tomate –
De tudo que se faz na vida levamos uma certa experiência, entre coisas boas e ruins que se passaram nestes sete anos eu aprendi muitas coisas, hoje eu faço a direção e edição de minhas obras,  componho minhas músicas e, junto à minha banda, Lado T, faço os arranjos e sou o gestor das minhas ações artísticas. E isso só é possível por causa dos anos de experiência que trago em minha vida profissional.

Kboing – Como surgiu o apelido Tomate?
Tomate –
Tomate é um apelido de infância que hoje faz parte do meu RG, o nome foi incorporado ao meu. Hoje sou Fabrício Tomate Cardoso Kraychete, e, este apelido começou quando eu tinha 7 anos de idade e fui passar as férias em Arembepe, uma praia que fica ao norte do litoral de Salvador onde minha família sempre teve casa de praia. Nestas férias minha mãe raspou a minha cabeça e a do meu irmão. Nos bronzeamos muito ao sol, então, quando voltamos para Salvador, um amigo olhou para mim e profetizou: “você esta parecendo um tomate”, e daí em diante eu virei para todos, inclusive para a família, o Tomate.

Kboing – Agora você está com o cabelo escuro, foi uma forma de desligar sua imagem do Rapazolla?
Tomate –
Não, foi uma forma de mostrar para mim e não para as outras pessoas que mudar era preciso, e se eu decidir fazer isso o fiz da forma que achei mais correta, iniciei pelo cabelo que era uma marca muito forte, quis mostrar que a minha vida musical, meu talento e a minha voz são muito mais importante que a imagem de um garoto de cabelos tingidos, a minha personalidade está dentro da minha cabeça e não fora dela!

Kboing – Como você vê o assédio dos fãs?
Tomate –
È uma coisa importante para a consolidação da carreira de qualquer artista em qualquer seguimento das artes.

Kboing – Quais as suas influências musicais?
Tomate –
Gosto de tudo que é musica, rock, samba,MPB..., sou eclético e as minhas influências são as boas musicas e os bons exemplos que vejo e procuro seguir na minha vida musical. Influencio-me pelo que é bom e tem qualidade, e procuro respeitar as outras e diversas músicas mesmo que não goste. Quanto a pessoas, as minhas influências são os bons exemplos e profissionais que admiro. Como são muitos eu prefiro não citar um ou outro, pois cada qual tem seu valor e é no melhor de cada um que busco me influenciar.

Kboing – Você também compõe?
Tomate –
Sim, as minhas composições já vêm fazendo sucesso desde o tempo do Rapazolla, onde tenho em um só disco nove composições. Sempre que gravo um CD ele é em sua essência na maioria composições minhas com parceiros que estão perto.

Kboing – O que você sente ao subir no trio e ver a galera cantando
junto com você?
Tomate –
É a minha vida, quando subo no trio me sinto realizado, faz parte da minha vida. É ali que eu me sinto feliz fazendo o que mais gosto.

Kboing – Conte nos um pouco do projeto “ELETROMATE”.
Tomate –
O Eletromate é um projeto itinerante que já realizamos em Salvador e em Belo Horizonte e aos poucos vamos levar as outras capitais e cidades mais importantes do Brasil. Essa é a nossa meta e vamos chegar lá. O projeto é de um carnaval indoor que conta com uma estrutura de som, luz, camarotes e muita gente feliz como eu!

Kboing – O CD “Ao vivo em Salvador” foi lançado recentemente, além de trabalhar nesse álbum quais são seus planos?
Tomate –
Meu projeto é tornar o Eletromate um evento consolidado, realizar a gravação do nosso primeiro DVD ainda este ano, e participar do maior número de carnavais possíveis. Vamos tocar em dezembro no Navio Universitário, e no Carnaval estaremos de corpo e alma no bloco mais importante da avenida, o Inter, o primeiro da fila. Tomate agora é Inter de corpo e alma. Serão três dias na avenida fazendo a festa mais importante do mundo no melhor bloco da avenida.

Kboing – Você é vaidoso?
Tomate –
Sim, e acho que todo homem deve ser, estamos em pleno século XXI, e os homens tem que se cuidar e ser vaidosos, eu tenho que cuidar da minha imagem tenho fãs que esperam sempre ver o melhor de mim.

Kboing – Quantas tatuagens você têm? E o que elas representam?
Tomate –
Tenho três tatuagens e elas representam momentos, que expresso desta forma, as tatuagens para mim tem um significado muito grande e cada uma delas representa um momento ou uma fase da minha carreira. A mais importante esta nas minhas costas é a palavra “ATITUDE” eu a trago e sigo como lema da minha vida. Tenho orgulho em dizer que sou um homem de atitude.

Kboing – Mande um recado para seus fãs micareteiros.
Tomate –
Continuem se divertindo com paz muito amor e muita energia, não usem drogas alguma, pois isso é o que acaba com sonhos e felicidades. E ouçam muito Tomate. E sempre que tiverem oportunidade vão aos meus shows, pois eu sempre me apresento com muito amor e energia para vocês!

Comentários