Músicas - Escolha Seu Artista

Bate-papo exclusivo com o grupo Ao Cubo

20 de abril de 2017, 19h18, por Alexandre Murari
Divulgação

O grupo Ao Cubo, considerado um dos maiores grupos de rap do Brasil, acaba de lançar pela gravadora Sony Music o quinto álbum de estúdio que leva o nome de "Fôlego".

O disco, que tem o circo como tema, contém 13 faixas, todas inéditas e compostas pelos integrantes, além de várias participações especiais como o pagodeiro Péricles, Ton Carfi e Kivitz.

Portanto, para contar um pouco sobre o novo álbum, planos para os próximos trimestres de 2017, história da carreira, influências e vários outros temas importantes para o grupo, batemos um papo exclusivo com Feijão.

Confira abaixo:

KBOING: A carreira do grupo começou a despontar no começo dos anos 2000, ok? Bom, antes disto, como tudo começou? Como era a relação do grupo com os palcos? Eestava nos planos do Ao Cubo conquistar a visibilidade que conquistou?

FEIJÃO: Antes de 2003 fizemos parte de um outro projeto por sete anos, tinha mais ensaio do que show, aí percebemos que alguma coisa estava descompensada. Foi aí que então interrompemos o projeto, elaboramos melhor as ideias e montamos o Ao Cubo. Tinhamos a pretensão de trabalhar com isso, viver da arte, então sempre esteve nos nossos planos do Ao Cubo ganhar visibilidade.

KBOING: Após conquistar o público foram vários hits emplacados, tem alguma música (ou mais que uma) que marcou de um jeito mais especial? Qual e por quê?

FEIJÃO: A música que marcou e sustentou o grupo até aqui foram Naquela Sala, 1980, Cinderela, Mil Desculpas e Tche-gue-die.

KBOING: Em que e onde vocês buscam inspirações para compor as canções? Além do rap, vocês buscam influências em outros gêneros musicais? Ou até mesmo em outras expressões artísticas como o cinema, literatura, artes plásticas etc...

FEIJÃO: Geralmente o artista parafraseia sua visão de mundo em sua arte, não somos diferentes. O hip-hop nos escolheu, é o que tocava na periferia, nas quadras de basket, bailes, pistas de skate e assim entrou em nossas vidas. Ouvimos muita música e contemplamos todo tido de arte, nos inspiramos e nos emocionamos com a arte.

KBOING: Quanto ao primeiro trimestre deste ano, como andam as conquistas do grupo? O que já foi realizado de importante neste início de ano?

FEIJÃO: Lançamos o CD Fôlego e fizemos uma festa para comemorar, usamos a temática de circo e contamos com a participação da trupe Cidade do Circo de Ribeirão Preto e com diversos amigos da música participando. Ton Carfi, Dexter, Pregador Luo, Lucas Morato, Kivitz entre outros. Também fizemos o videoclipe da música "Abraço" que está sensacional.

KBOING: E para o restante de 2017, o que vem pela frente, parceria, turnês, projetos? O que os fãs do grupo e do rap de mensagem podem esperar?

FEIJÃO: Vamos pra estrada com a Turnê "Fôlego" e criar muito conteúdo audiovisual. Queremos agradecer a todo público que tem compartilhado nossa mensagem. E lembrar que somos responsáveis pelo bem estar da nossa casa, nossa cidade, país e do nosso mundo, precisamos uns cuidar dos outros. Podemos combater o mal com o amor de Cristo, que não despreza ou exclui pessoas.

Comentários