Pabllo Vittar é só elogios na revista Vogue EUA!

27 de novembro de 2018, 15h46, por Amanda Ramalho
Divulgação

A drag queen de maior destaque do Brasil e do mundo não para! Desta vez, Pabllo Vittar é destaque na revista "Vogue" americana.

Logo no título, a publicação indaga: "What Pabllo Vittar, Pop Superstar, Means to Brazil (and the Rest of Us) Right Now", em tradução livre: "O que Pabllo Vittar, superestrela pop, significa para o Brasil (e o resto de nós) atualmente".

A matéria traz em seu conteúdo diversos momentos sobre a carreira da artista, menciona o fato de ser a primeira drag queen com indicação a um Grammy Latino e também menciona o atual momento político do nosso país.

A "Vogue" inicia seu texto explicando que primeiro é preciso entender de onde vem todos esses comentários em torno de Pabllo.

"Para entender a importância particular de Pabllo Vittar, primeiro você tem que entender de onde ela vem. Quando o cantor, compositor e drag queen explodiu na cena em 2014, uma estrela já formada em shorts curtos e contornos perfeitos, pregando um dos solos mais difíceis de Whitney Houston na TV local, o Brasil era um lugar perigoso para se identificar como LGBTQ , mas havia uma sensação de que o progresso estava logo ali na esquina. O país legalizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo em 2013e havia um impulso marcante para o reconhecimento do governo dos direitos LGBT (...) Quatro anos depois do devastador solo de Vittar, o Brasil está em guerra consigo mesmo e com progresso: no ano passado, um juiz federal anulou uma proibição de 18 anos à terapia de conversão, permitindo que psicólogos tratassem a homossexualidade como uma doença. O país elegeu Jair Bolsonaro , de extrema direita e abertamente homofóbico, como seu novo presidente. (Bolsonaro disseque a homossexualidade é resultado do uso de drogas e comparou os direitos dos casais gays a adotar com pedofilia; ele também disse que "seria incapaz de amar um filho homossexual" e que "preferiria que meu filho morresse em um acidente" do que ser gay)".

Depois da apresentação, a revista também fala da influência da drag no país e

"Vittar não é apenas a drag queen mais seguida nas redes sociais (com mais de 7 milhões de seguidores no Instagram, e visualizações combinadas de vídeo de 1 bilhão, ela supera até mesmo a sempre icônica RuPaul , cuja Drag Race inspirou a própria reinvenção de Vittar), mas ela é também ganhando o tipo de reconhecimento que seus antecessores só poderiam sonhar. Vittar é a primeira drag queen a ser indicada para um Grammy.

A publicação reforça que Pabllo "se tornou, para muitos, um símbolo da resistência progressista do país".
Apesar de todo frission que tem criado, a artista contou a "Vogue" que deseja ser um exemplo para outras.

"Acho que a coisa mais legal da minha carreira são as mensagens que recebo nas redes sociais, as pessoas dizendo que são mais felizes, que minha música ajudou-as a superar dificuldades, ou as ajudei a se sentirem bem consigo mesmas. Isso me deixa muito feliz. Isso é o que faz o meu trabalho valer a pena, é mudar a vida de outras pessoas, ou então não valeria a pena. Claro, é um trabalho divertido, mas no final do dia, essa é a parte mais legal".

Fique por dentro de todas as notícias que rolam por aqui! Curta a nossa página no Facebook!

Comentários