Mulher processa Beyoncé por site não ser acessível para cegos

04 de janeiro de 2019, 15h27, por Amanda Ramalho
Divulgação

A empresa de Beyoncé, Parkwood Entertainment, está sendo processada por uma mulher cega que afirmar que o site da cantora não é acessível as pessoas com esse tipo de deficiência.

De acordo com o "The Hollywood Reporter", Mary Conner afirma que o site oficial de Bey viola a lei americana de acessibilidade, a Americans With Disabilities Act.

A mulher pede uma liminar que obrigue a empresa a tornar o site totalmente acessível e também exige uma indenização já que alega ter "sido alvo de discriminação ilegal".

Mary afirma que as páginas do endereço não são disponíveis para pessoas com deficiência e que desta forma não podem usufruir dos serviços oferecidos.

Segundo a mulher, o site tem "uma exclusiva interface visual" que dificulta a navegação, a partir daí a pessoa precisa realizar as compras online com o auxílio de acompanhante com visão.

Também foram indicados a falta de menus acessíveis, não permitir usar o teclado no lugar do mouse e a ausência de links para navegação.

O "The Hollywood Reporter" não conseguiu contato com os representantes da empresa. Os valores da indenização não foram divulgados.

Fique por dentro de todas as notícias que rolam por aqui! Curta a nossa página no Facebook!

Comentários