artistas

Claudia Leitte poderá depor em CPI da Lei Rouanet

14 de fevereiro de 2017, 12h23, por Alexandre Murari
Divulgação

Após ter descumprido alguns acordos de um projeto de recurso da Lei Rouanet, Claudia Leitte poderá ser convocada para depor na CPI da Lei Rouanet.

A cantora já negou devolver 1,2 milhão aos cofres públicos, pois acredita que este não seja o valor proporcional.

→ Dia da Amizade: 7 clipes para dedicar aos amigos

Por conta do entrave burocrático, um representante da CIEL, empresa da cantora, poderá ser convocado para depor na CPI. O dia do depoimento ainda não foi marcado, porém, vale lembrar que a pessoa chamada tem o direito de permanecer calada.

→ Procon pune agências que cancelaram os shows de Mariah Carey

Quanto a isso, o presidente da CPI, Alberto Fraga, em entrevista à colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, revelou: "Se não falar, vamos convocar a cantora para dar explicações. Estou evitando ao máximo essa espetaculosidade, mas, diante da má vontade dos artistas com a comissão, será necessário".

Entenda o caso:

Sobre a dívida, vale lembrar que, segundo o Ministério da Cultura (MinC), a cantora tem que ressarcir o dinheiro por não ter cumprido as regras estabelecidas no momento do requerimento do recurso, que tinha liberado verba para uma turnê. Alguns pontos acordados como ingressos grátis para crianças carentes e preço acessível ao público não foram respeitados.

No entanto, o prazo de devolução já foi excedido e, consequentemente, o nome da empresa da cantora foi enviado a uma lista de devedores da União. Por outro lado, a defesa da cantora considera ser 'desproporcional' o valor cobrado pelo Ministério da Cultura porque "não houve a comprovação de que os ingressos tenham sido distribuídos gratuitamente e que os valores estavam acima do valor esperado".

A defesa também deixa claro que se for responsabilizada pelos atos "cumprirá, evidentemente, a decisão da Justiça".

Comentários