artistas

Artistas que fizeram a história do rock, parte II

11 de julho de 2012, 17h27, por Amanda Ramalho

Para dar continuidade ao nosso especial "Artistas que fizeram a história do rock", hoje iremos falar do mito Freddie Mercury, Jim Morrison, Brian Jones e Janis Joplin.

Freddie Mercury (Queen)


Em 5 de setembro de 1946, nascia um dos ícones da música: Freddie Mercury. O cantor foi durante muito tempo, vocalista da banda de rock britânica Queen e considerado pelos críticos e opiniões populares, como um dos melhores cantores de todos os tempos e uma das vozes mais conhecidas do mundo.

Freddie deixou um legado musical incrível, mais de 300 milhões de discos vendidos em todo o mundo e apresentações com milhares de pessoas, o Queen não era apenas um fenômeno mundial, mas também era símbolo da diversidade musical.

Mercury foi o responsável por passar à banda a sua obsessão com o universo gay sadomasoquista que ele tinha acabado de descobrir, no início dos anos 80, e transmitir o visual "couro e bigode" que ficou para sempre associado a ele. Também chamava a atenção pela forma que conduzia os espetáculos: grandes saltos, gestos exagerados e uma potencia vocal invejável. Apesar de ter sua carreira altamente relacionada com o Queen, Freddie Mercury também lançou alguns trabalhos solo: os LPs "Mr. Bad Guy" (1985) e "Barcelona" (1988), com a diva Montserrat Caballé,  também participou do musical "Time", de David Clark.

Mas em 1991, complicações de saúde decorrente da AIDS, levaram o mito do rock e desde então o Queen jamais voltou a emplacar algum grande sucesso. Após a morte de Mercury, o baixista John Deacon abandonou o grupo e a carreira musical. Já May e Taylor continuam a gravar e fazer shows, com a participação de Paul Rodgers nos vocais, e, mais recentemente, com o ex-"American Idol" Adam Lambert.

Jim Morrison (The Doors)


Jim Morrison, vocalista do The Doors, foi cantor, compositor e poeta. Era filho de George Stephen Morrison e Clara Clark Morrison, ambos funcionários da marinha americana. O jeito conservador e rigoroso dos pais fez com que Jim tomasse para si pontos de vista completamente diferente aos que lhe foi ensinado.

Um dos fatos que marcou a vida do cantor foi um acidente que presenciou aos quatros anos de idade, no qual muitas vezes ele relatou em meio a música, como a sua primeira experiência com a morte.

Seu contato com a escrita aconteceu ainda na adolescência e na faculdade seus interesses estavam em teatro e cinema. Depois de formado pela Universidade da Califórnia, Jim resolveu montar a banda, inicialmente com Ray Manzarek, seu ex colega de graduação, o nome do grupo foi inspirado no livro "The Doors of Perception", de Aldous Huxley.

Na música, o estilo de Jim Morrison mescla o blues e o psicodélico e suas letras se distanciam dos singles da época. Destaque para os álbuns "The Doors", "Strange Days" e "L.A. Woman".

A morte de Jim é até hoje uma incógnita. Alguns dizem que ele foi encontrado morto na banheira do apartamento sem saber a causa real. Outra parte diz que houve um assassinato planejado pelas próprias autoridades do governo americano. O artista foi o quarto a morrer misteriosamente, sendo os três primeiros Jimi Hendrix, Janis Joplin e Brian Jones (todos com 27 anos).

Brian Jones (The Rolling Stones)


Lewis Brian Hopkin Jones nasceu em 28 de fevereiro de 1942 e foi um músico inglês e co-fundador da banda The Rolling Stones.

Aos 20 anos Brian Jones convidou Jagger e Richards para formar uma banda, que se chamaria The Rolling Stones, inspirado no trecho de uma canção de Muddy Waters (Rollin' Stone) que dizia: "… pedras rolantes não criam musgo…". O nome foi utilizado pela primeira vez em 12 de julho de 1962, em sua apresentação no Marquee Club de Londres.

Sua habilidade não era compor, mas junto com o companheiro de banda George Harrison, se tornou um grande instrumentista e foi um dos primeiros roqueiros a introduzir a cítara nas músicas. A maior parte da sonoridade da banda vinha do bom gosto do músico. O som da harpa em "You got the Silver", o saxofone na faixa "Dandelion", acordeon em Back Street Girl, eram alguns do diferencial do grupo.

Brian também tocou o saxofone na música dos Beatles, "You Know My Name (Look Up the Number)" e em 1967 compôs a trilha sonora do filme A Degree Of Murder, no qual sua namorada Anita Pallenberg foi a protagonista.

Em 1969 Brian foi convidado a se retirar da banda já que os problemas com drogas e as desavenças entre os integrantes estavam se tornando constante. Aos 27 anos Brian Jones morreu afogado em uma piscina de forma “acidental” (relatório da época), mas de acordo com outras histórias o afogamento foi provocado pela ingestão de álcool, drogas e omissão de socorro para com o músico.

Janis Joplin


A cantora Janis Joplin também figura entre as perdas dos grandes artistas do rock. Janis nasceu em 19 de Janeiro de 1943 em Los Angeles e foi considerada "Rainha do Rock and Roll" e a maior cantora de rock dos anos 60.

Foi vocalista da Big Brother and the Holding Company e depois em carreira solo tocava acompanhada dos grupos Kozmic Blues e a Full Tilt Boogie. Sua influencia musical ia do jazz ao blues, passando por Aretha Franklin, Billie Holiday, Tina Turner, Big Mama Thornton, entre outros.

Sua voz marcante se caracterizou como um dos ícones do rock psicodélico dos anos 60. A crítica especializada da época achava incrível a sensualidade de Janis relacionada com o estilo que cantava.

Como muitos, sua vida foi marcada pelo consumo excessivo de álcool e drogas. Janis foi encontrada morta em seu apartamento, aos 27 anos. O laudo constatou que ela teve uma overdose de heroína combinada com os efeitos do álcool. Em sua discografia podemos ressaltar: Big Brother and the Holding Company (1967), Cheap Thrills (1968), I Got Dem Ol' Kozmic Blues Again Mama! (1969) e o póstumo Pearl (1971).

Se você perdeu a primeira parte do nosso especial, confira aqui!

Comentários