Veja todas as fotos de Fábio Brazza

Filho da Pátria

Fábio Brazza

ouvir : conectando
aleatório
repetir
sem intro
Para adicionar mais músicas, clique em adicionar meu canal e depois em "Adicionar ao player"
  • tradução da letratradução letra
  • imprimir letraimprimir letra
  • corrigir
  • corrigir a letra
  • não está conseguindo ouvir a música, clique aqui!ajuda
Eu sou o que sobrou da Amazônia a Colônia despedaçada
Sou aquilo que resta da floresta desmatada
O ouro, o troco, o tudo e o nada
O cafuzo e o caboclo eu sou um pouco de cada

Eu sou as mãos na enxada e os pés na lavoura
A herança deixada pela exploração devastadora
Terra abençoada pelo plantio
Banhada de rios, matas no cio, negros nagôs em navios
Eu sou caravelas em caravanas com caras maus
Caras-pálidas com carabinas trazendo caos
A senzala o quilombo e o palácio
Cabral, Dom Pedro e José Bonifácio

Sou o senhor de engenho e a não reforma agrária
Sou Aquilo que eu tenho na minha conta bancaria
O fracasso das capitanias hereditárias
Garrincha entortando zagueiros dentro da área
Um pedaço do tratado de Tordesilhas
A mão que tira, mas também sou a que compartilha
Eu sou a força dessa gente
Que mesmo sem perna ainda tenta caminhar pra frente

Eu sou Brasil, eu sou a pátria mãe gentil
A pátria que te pariu, que te pariu, eu sou o Brasil
Eu sou o samba a mulata o quadril
Eu sou o preço da prata tão vil
Eu sou aquele que mata de terno e gravata
E sem precisar de um fuzil
Eu sou a educação por um fio,
Eu sou o inverno sem frio
Eu sou, eu sou brasileiro
Um povo herdeiro daquele 22 de abril

Eu sou um erro que não se conserta,
A ferida aberta em carne viva
Uma descoberta lucrativa
Sou Patativa e Tarsila do Amaral
Mais de 500 anos de um problema social
A sina da pele preta, perneta ou Pelé?
Ou apelar pra escopeta pra se ter o que quer
Pra não terminar na sarjeta como um qualquer
Ou dentro duma gaveta cuma etiqueta no pé

Sou um legado infeliz, Machado de Assis
Sou a locomotriz dessa loca matriz
Descentes Zulus e Zumbis, Meretriz
Com a mania de achar que aqui é Paris
E zombar da raiz, dizimar Kaiowa Guaranis
Estão sós Kaiapós, Kariris
Fica a atroz cicatriz, nem Funai nem Green Peace
Oh meu pai o que eu fiz, perdoai meu país
Vai sem paz diretriz, aqui jaz o juiz
Vai por cima das leis debaixo do nariz
Meu Brasil, verás que um filho teu não foge a luta
Da terra de ninguém, eu sou mais um filho da Pátria

Eu sou Brasil, eu sou a pátria mãe gentil
A pátria que te pariu, que te pariu, eu sou o Brasil
Eu sou a desigualdade hostil,
Eu sou a mortalidade infantil
Eu sou a inadimplência, a incompetência,
Desobediência civil
Eu sou de fato um retrato sombrio,
Eu sou um preto de prato vazio
Eu sou a intolerância, a ignorância
Promessa que não se cumpriu



Facebook Google Plus

Denunciar conteúdo inapropriado

Aviso Legal - Política de Privacidade

Mais músicas de Fábio Brazza

Ver todas as músicas de Fábio Brazza

Artistas em destaque

Notificar erro
Selecione abaixo o tipo de erro da música


código incorreto, tente novamente(trocar imagem)
você deve selecionar uma das três opções antes de enviar 
Minha playlist
Colocar texto bem aqui pro caboclo ficar feliz e voltar pra casa
Minha playlist
Crie um nome para sua playlist nova ou substitua as músicas de uma playlist existente
Dê nome para sua playlist
substitua as músicas da playlist
ou
 
Atualizar Video
Você pode contribuir e corrigir o video desta música
Adicione a url correta do vídeo do YouTube
Ex.: https://www.youtube.com/watch?v=EDwb9jOVRtU
ARTISTA:

MÚSICA: