, 10h22

Entrevista: Eduardo Costa

Henrique Bérgamo
Eduardo Costa durante show em São José do Rio Preto (SP)

Num segmento dominado por duplas, Eduardo Costa, que além de intérprete é compositor e violeiro, se diferencia em carreira solo e hoje tem seu sucesso consolidado.

Ouça mensagem para os fãs
Ouça músicas de Eduardo Costa

Aos 14 anos, Eduardo Costa, começou a cantar profissionalmente destacando-se em 2002 quando gravou seu primeiro trabalho por uma gravadora.

O cantor preserva sua origem caipira e também conquistou o público com todo o seu romantismo. Com seu jeito simples e uma enorme simpatia, Eduardo Costa, vem sendo recorde de público em seus shows realizados em todos os cantos do Brasil e até do exterior.

Com 15 anos na estrada, o cantor tem seis discos e um DVD.  Em entrevista exclusiva para o site Kboing, Eduardo Costa anunciou o lançamento de um novo álbum e do segundo DVD para o segundo semestre deste ano. A gravação terá início em agosto.

Kboing – Como foi o início da carreira?
Eduardo Costa –
Tenho 15 anos de carreira, mas fui gravar meu primeiro trabalho por uma gravadora, somente em 2002. Desde pequeno sou encantado pela música. Trabalhei na roça quando morei em Abre Campo, interior de Minas Gerais. Com o primeiro dinheiro que ganhei, com a ajuda de meu pai, comprei um violãozinho que despertou ainda mais meu gosto pela música. Quando me mudei para Belo Horizonte, comecei a trabalhar em uma floricultura, para ajudar nas despesas de casa, e a noite cantava nos botecos mesmo sem receber nada em troca, somente pelo prazer de fazer o que eu gostava. Depois da tentativa de formar uma dupla que não deu certo, continuei trabalhando para me sustentar, mas não abandonei a música. O marco da minha carreira foi quando a canção “Coração Aberto”, de minha autoria, começou a tocar nos rádios. Fui abençoado, e a partir deste momento, meu trabalho e minha dedicação começaram a ser reconhecidos. 

Kboing – E como foi a emoção quando ouviu pela primeira vez sua música tocar no rádio?
Eduardo Costa –
“Coração Aberto\" é uma canção de minha autoria e a primeira a estourar em todo Brasil.  Me lembro como se fosse hoje, quando eu ouvi essa música em uma rádio pirata de BH, disparei a chorar de emoção. Desse momento em diante foi só alegria (risos)! Tenho um carinho muito especial por essa canção. Hoje tenho 6 discos gravados e 1 DVD, todos foram sucessos graças a Deus!

Kboing – Conhecido pelos amigos como “cantor apaixonado”, você também é compositor. De onde vem a inspiração?
Eduardo Costa –
Um compositor precisa de muitas histórias para contar, e isso eu tenho bastante (risos)!  Histórias minhas, de amigos, notícias do dia-a-dia, filme, tudo isso acaba se transformando em material de inspiração para as composições. Um exemplo disto é a música “Cena de um Filme”, que é uma das inéditas que está no meu DVD. Eu a compus depois de assistir o filme Titanic (risos)! Outro exemplo é “Coração Aberto”, mas a história dessa composição conto no meu DVD, por isso, vou deixar um suspense no ar (risos)! Em relação ao tempo de compor, realmente a estrada dificulta um pouco, mas por outro lado é muito bom viajar. Além de apreciar as paisagens do caminho, sempre que chego nas cidades, conheço novas culturas e pessoas. Isso me inspira a compor.

Kboing – E você toca instrumentos também, não é mesmo? Você é autodidata?
Eduardo Costa –
Toco sim. Nunca tive aula de nada, tudo o que eu sei aprendi sozinho.

Kboing – Você tem algum ídolo musical? Qual?
Eduardo Costa –
Gino & Geno, Chitãozinho & Xororó, Teodoro & Sampaio, Milionário & José Rico, Almir Sater, Tião Carreiro & Pardinho, Leandro & Leonardo, Roberto Carlos, dentre outros.

Kboing – Qual o balanço você faz desses 15 anos de estrada?
Eduardo Costa –
Acho que o que estou vivendo hoje é o resultado de muito trabalho, persistência e profissionalismo. Aprendi muito, tive diversos percalços e fui abençoado. Agradeço muito por tudo o que está acontecendo comigo hoje. O sucesso é o resultado de todo um esforço e aprendizado. Durante esses 15 anos sofri, aprendi e conheci coisas que nunca imaginaria conhecer...é muito gratificante olhar para trás e ver todo o caminho que foi percorrido até os dias de hoje.

Kboing – A música sertaneja é um segmento dominado por duplas. Você enfrentou alguma dificuldade para conquistar o público?
Eduardo Costa –
No início da carreira eu tinha uma dupla, infelizmente eu precisava de dinheiro pra viver, e viver pela dupla já não dava mais. Passei por muita dificuldade financeira. Tive que ficar um ano longe dos palcos e das músicas, pois precisava trabalhar em outra coisa. Mas foi com a força e o apoio dos meus amigos que não me deixaram desistir da carreira, que continuei. Quando a dupla Eduardo & Cristiano acabou, adotei o nome Eduardo e acrescentei meu sobrenome Costa, resolvi arriscar e cantar sozinho. Na verdade, acho que sou um dos percussores de solistas na música sertaneja, pois tanto o Leonardo quanto o Daniel, infelizmente são solistas hoje devido a fatalidades que aconteceram. Acho que todo início tem suas dificuldade e atualmente acho que o público já está se acostumando a ver sertanejos cantarem sozinhos e estão se identificando com isso.

Kboing – Hoje, Eduardo Costa é um dos maiores nomes da música sertaneja. Você esperava por todo esse reconhecimento?
Eduardo Costa –
A gente sempre espera e sonha com isso, mas certeza de que ele vai acontecer ninguém tem. Isso depende do quanto você se empenha e trabalha por isso sem deixar de ser quem você é e seguindo sempre sua essência artística, aí o sucesso é conseqüência de todo esse trabalho. 

Kboing – Ainda há preconceito em relação ao estilo musical sertanejo?
Eduardo Costa –
Acho que não. Graças a Deus já ultrapassamos essa barreira. Hoje o sertanejo alcança todas as classes sociais e faixas etárias. Cada pessoa tem sua preferência, pode ser sertanejo, samba, MPB e etc. Cada um escuta o que gosta, mas atualmente a música sertaneja é a mais ouvida e consumida em todo o Brasil.
 
Kboing – São mais de 180 shows por ano. O que você faz para manter esse pique?
Eduardo Costa –
Não há nada melhor do que fazer o que ama. Quando isso acontece, nem percebemos o quanto estamos cansados, o pique vem da alma (risos)!

Kboing – Você realizou shows nos EUA no ano passado. Você tem outra turnê internacional programada? Quando?
Eduardo Costa –
Já realizei duas, ambas nos EUA. A primeira aconteceu em maio de 2007 e a segunda em novembro de 2008. Fizemos diversos shows em várias cidades. É muito bom levar nossa música para outro país, ser bem recebido por lá e, além disso, fazer com que diversos brasileiros que moram ali, matem a saudade de nosso país. Em 2009 com certeza faremos novas turnês internacionais não só para os EUA, como para a Europa também.

Kboing – Musicalmente, o que você ainda tem vontade de fazer?
Eduardo Costa –
Sou muito afoito, cheio de idéias e gosto sempre de inovar e realizar coisas que ainda não fiz como, por exemplo, parcerias inusitadas...mas quando as idéias se concretizarem, falo quais eram (risos)!

Kboing – O seu último trabalho “Cada Dia Eu Te Quero Mais”, foi lançado em julho de 2008. Têm planos para um novo álbum?
Eduardo Costa –
Tenho sim. No segundo semestre deste ano, estaremos gravando mais um CD e o segundo DVD da minha carreira.

Kboing – Você já tem o repertório para gravação do segundo DVD?
Eduardo Costa –
Já estamos selecionando.

Kboing – Após percorrer o Brasil realizando shows qual você considera como inesquecível?
Eduardo Costa –
Todos os shows são importantes, mas um inesquecível acho que foi em Belo Horizonte na gravação do meu primeiro DVD.

Kboing – A fama muda a rotina de todos os artistas. O que você fazia antes que não pode mais fazer hoje em dia? Como você vê o assédio dos fãs?
Eduardo Costa –
Acho que o lado mais negativo da fama é a falta de tempo para a família e os amigos, eu sinto muita vontade de passar mais tempo ao lado das pessoas que amo. Acho que o assédio é uma demonstração explícita de carinho, amor e reconhecimento. Sem os fãs, nós artistas não seríamos nada.

Kboing – O mundo passa por uma grande crise. Essa crise já pode ser sentida no meio musical?
Eduardo Costa –
Eu acho que em relação a shows, felizmente a crise ainda não chegou. Graças a Deus, minha agenda já está comprometida até o final deste ano.

Kboing – Deixe uma mensagem para seus fãs.
Eduardo Costa –
Os fãs são a minha fonte de inspiração! São eles que me dão gás a cada dia! Quero aproveitar e mandar um grande beijo para a galera que acessa meu site, meu fã clube oficial “Coração Aberto”, a galera do orkut e do youtube também! Amo muito todos vocês! Obrigado pelo carinho.

Da redação, por Tatiana Pires
compartilhe:  comentários
comentários
publicidade
publicidade