ouvir : conectando
Para adicionar mais músicas, clique em adicionar meu canal e depois em "Adicionar ao player"
  • traduzir letra
  • imprimir letra
  • corrigir letra
  • ajuda


O Fado nasceu um dia,
quando o vento mal bulia
e o céu o mar prolongava,
na amurada dum veleiro,
no peito dum marinheiro
que, estando triste, cantava,
que, estando triste, cantava.

Ai, que lindeza tamanha,
meu chão , meu monte, meu vale,
de folhas, flores, frutas de oiro,
vê se vês terras de Espanha,
areias de Portugal,
olhar ceguinho de choro.

Na boca dum marinheiro
do frágil barco veleiro,
morrendo a canção magoada,
diz o pungir dos desejos
do lábio a queimar de beijos
que beija o ar, e mais nada,
que beija o ar, e mais nada.

Mãe, adeus. Adeus, Maria.
Guarda bem no teu sentido
que aqui te faço uma jura:
que ou te levo à sacristia,
ou foi Deus que foi servido
dar-me no mar sepultura.

Ora eis que embora outro dia,
quando o vento nem bulia
e o céu o mar prolongava,
à proa de outro veleiro
velava outro marinheiro
que, estando triste, cantava,
que, estando triste, cantava.

Mais músicas de Amalia Rodrigues

músicas | top novidades | top músicas | top artistas

mais músicas

Nocaute - Jorge e Mateus
Até Você Voltar - Henrique e Juliano
Diz Pra Mim - Malta
Saudade Idiota - Lucas Lucco
Wiggle (feat. Snoop Dogg) - Jason Derulo
Cobertor (Part. Projota) - Anitta
Céu Azul - Charlie Brown Jr.
Domingo de Manhã (Acústico) - Marcos & Belutti
Cê Topa (Ao Vivo 2013) - Luan Santana
Dark Horse (feat. Juicy J) - Katy Perry