To tocando essa didinha
Do melhor jeito manera
To sem pressa de matar
Essa vida passageira
Toda calma que eu puder
Vou gastar devagarinho
Quando vou pra um lugar
Dou cem voltas no caminho

Chego a tarde em meu terreno
Sento a sombra da jaqueira
Vou picando meu fuminho
E tragando a bagaceira
Lá os bichos me arrodeiam
É que a vida se consola
Vem cachorro, pato e gado
E o porquinho vem com a porca
E depois a filhada
A meu deus, pra escutar moda e viola

Diz que a vida não se mede
Mas se aprende no viver
Não me atalho a paciência
To sem pressa de morrer
Seu cuitela numa estrada
Dou cem voltas no pomar
E só deixo a minha casa
Na certeza de voltar

Chego a tarde em meu terreno
Sento a sombra da jaqueira
Vou picando meu fuminho
E tragando a bagaceira
Lá os bichos me arrodeiam
É que a vida se consola
Vem cachorro, pato e gado
E o porquinho vem com a porca
E depois a filhada
A meu deus, pra escutar moda e viola To tocando essa didinha
Do melhor jeito manera
To sem pressa de matar
Essa vida passageira
Toda calma que eu puder
Vou gastar devagarinho
Quando vou pra um lugar
Dou cem voltas no caminho

Chego a tarde em meu terreno
Sento a sombra da jaqueira
Vou picando meu fuminho
E tragando a bagaceira
Lá os bichos me arrodeiam
É que a vida se consola
Vem cachorro, pato e gado
E o porquinho vem com a porca
E depois a filhada
A meu deus, pra escutar moda e viola

Diz que a vida não se mede
Mas se aprende no viver
Não me atalho a paciência
To sem pressa de morrer
Seu cuitela numa estrada
Dou cem voltas no pomar
E só deixo a minha casa
Na certeza de voltar

Chego a tarde em meu terreno
Sento a sombra da jaqueira
Vou picando meu fuminho
E tragando a bagaceira
Lá os bichos me arrodeiam
É que a vida se consola
Vem cachorro, pato e gado
E o porquinho vem com a porca
E depois a filhada
A meu deus, pra escutar moda e viola
publicidade