No fundo de uma cela fria
Estava eu e a solidão
A alegria tinha ido embora, eu esperava a hora da execução.
O pranto molhando o meu rosto,
e eu revendo os meus pecados
Me vi num beco sem saída, pois durante a vida eu fiz tudo errado.
Eu sofrendo ali desesperado, chegou um soldado, tirou as correntes e falou pra mim:
"Você vai se livrar da morte, é seu dia de sorte você pode ir".
E ele disse, vá em paz, você não tem mais nenhum motivo pra ficar, outra pessoa vai morrer em seu lugar.

Eu era um criminoso e ele era sem pecado
eu estava sendo solto e ele sendo condenado
Eu era a malícia e ele era sem maldade
Eu era a mentira e ele era a verdade
Eu estava em plena guerra, ele trouxe-me a paz
Ele era Jesus Cristo e eu era Barrabás. No fundo de uma cela fria
Estava eu e a solidão
A alegria tinha ido embora, eu esperava a hora da execução.
O pranto molhando o meu rosto,
e eu revendo os meus pecados
Me vi num beco sem saída, pois durante a vida eu fiz tudo errado.
Eu sofrendo ali desesperado, chegou um soldado, tirou as correntes e falou pra mim:
"Você vai se livrar da morte, é seu dia de sorte você pode ir".
E ele disse, vá em paz, você não tem mais nenhum motivo pra ficar, outra pessoa vai morrer em seu lugar.

Eu era um criminoso e ele era sem pecado
eu estava sendo solto e ele sendo condenado
Eu era a malícia e ele era sem maldade
Eu era a mentira e ele era a verdade
Eu estava em plena guerra, ele trouxe-me a paz
Ele era Jesus Cristo e eu era Barrabás.
publicidade