Narrador (introdução): "Os Intocáveis. Dramático filme
policial de Michael Gustav com o famoso detetive federal
Kid Morengueira, seu fiel ajudante Elliot Ness e sua linda
secretária Nee Pall View (*), e cujo cenário é a famosa
década de trinta, quando a Lei Seca tinha fechado todos
os bares e botecos."

Há quatro meses, ninguém via uma bebida
Nenhum pau-d'água pela rua cambaleava
Ninguém cantava mais O Ébrio do Vicente Celestino
E nem uísque nacional se fabricava

Mas em Chicago um enterro ia passando
Com muitos carros e coroas, desfilando entre orações
São tantos carros que a polícia desconfia
E os federais começam as investigações.

Narrador: "Eram exatamente 12h45 quando soaram os
alarmes da Penitenciária de Nova Iorque e o chefe de
polícia mandou oito federais para Chicago."

Kid Moreira vai às casas funerárias
Fica sabendo que Al Capone encomendou o caixão
Falta saber qual é o nome do defunto
Que merecia tanta consideração

Vê quem morreu, olha na lista e nada consta
Ninguém morreu de ontem pra cá e os polícias federais
Cercam as ruas de Chicago e o Morengueira proclama:

– Ô, Al Capone, isto assim já é demais!
Vou dar-lhe um banho de metralha, desta não escaparás. Eu vou botar todo esse bando na prisão de Alcatraz.

Narrador: "Eram precisamente 17h43 quando os federais
descobriram toda a trama criminosa do mais espetacular
contrabando de bebidas. Oito mil garrafas de uísque
estavam no meio das coroas. Kid Morengueira mandou
então que os homens de Elliot Ness atirassem sobre o
cortejo e acertassem em cheio no defunto."

No tiroteio, os bandidos desertaram
E, solitário, sobre um poste o carro fúnebre bateu
E quando um tiro de metralha fez um rombo no caixão
O contrabando pelas ruas escorreu.

(Só tinha uísque no caixão, mas o defunto não bebeu.)

Enquanto o líquido jorrava, a polícia já cercava
O esconderijo de Al Capone e sua grei
Assim termina Os Intocáveis desta noite
Com a vitória da Justiça e da Lei.

Humphrey Bogart e George Raft eu mesmo encarcerei
Só tenho pena das garrafas que na rua eu quebrei
Volte na próxima semana que outro filme eu contarei! Narrador (introdução): "Os Intocáveis. Dramático filme
policial de Michael Gustav com o famoso detetive federal
Kid Morengueira, seu fiel ajudante Elliot Ness e sua linda
secretária Nee Pall View (*), e cujo cenário é a famosa
década de trinta, quando a Lei Seca tinha fechado todos
os bares e botecos."

Há quatro meses, ninguém via uma bebida
Nenhum pau-d'água pela rua cambaleava
Ninguém cantava mais O Ébrio do Vicente Celestino
E nem uísque nacional se fabricava

Mas em Chicago um enterro ia passando
Com muitos carros e coroas, desfilando entre orações
São tantos carros que a polícia desconfia
E os federais começam as investigações.

Narrador: "Eram exatamente 12h45 quando soaram os
alarmes da Penitenciária de Nova Iorque e o chefe de
polícia mandou oito federais para Chicago."

Kid Moreira vai às casas funerárias
Fica sabendo que Al Capone encomendou o caixão
Falta saber qual é o nome do defunto
Que merecia tanta consideração

Vê quem morreu, olha na lista e nada consta
Ninguém morreu de ontem pra cá e os polícias federais
Cercam as ruas de Chicago e o Morengueira proclama:

– Ô, Al Capone, isto assim já é demais!
Vou dar-lhe um banho de metralha, desta não escaparás. Eu vou botar todo esse bando na prisão de Alcatraz.

Narrador: "Eram precisamente 17h43 quando os federais
descobriram toda a trama criminosa do mais espetacular
contrabando de bebidas. Oito mil garrafas de uísque
estavam no meio das coroas. Kid Morengueira mandou
então que os homens de Elliot Ness atirassem sobre o
cortejo e acertassem em cheio no defunto."

No tiroteio, os bandidos desertaram
E, solitário, sobre um poste o carro fúnebre bateu
E quando um tiro de metralha fez um rombo no caixão
O contrabando pelas ruas escorreu.

(Só tinha uísque no caixão, mas o defunto não bebeu.)

Enquanto o líquido jorrava, a polícia já cercava
O esconderijo de Al Capone e sua grei
Assim termina Os Intocáveis desta noite
Com a vitória da Justiça e da Lei.

Humphrey Bogart e George Raft eu mesmo encarcerei
Só tenho pena das garrafas que na rua eu quebrei
Volte na próxima semana que outro filme eu contarei!
publicidade