Bagulho Doido

Macarrão


ouvir adicionar
Bum
Não fica nenhum
Os (?) avisaram da chegada
Não fique parado não dê mancada,
mais uma operação policial
Te deixam jogado na pista
Te tratam feito um animal
Choque, tu sabe como é a BOPE
Dá de frente com eles, é dá de frente com a morte
Ficar vivo é questão de sorte
Não que pá alguém se importe muito, se pá
Mais um presunto, fim do assunto
Mais um hóspede eterno na cidade do pé junto
Quem será o próximo eu não sei
Só sei que corri, temia pelo meu fim
Não é por covardia, mas é que eu vivo dia a dia
Já vi o sofrimento de muitas famílias, inclusive a minha
Perdi parentes e amigos que felizmente
hoje não estão mais comigo
Eu tô cansado de ver favela num mó lazer
e no momento seguinte 1,2,3,4 (?)
colocam tudo a perder
Descem do carro cheio de marra
e tá ligado no que vai acontecer
Pá, Pá
Bang, Bang
Amigos tombados em meio a poça de sangue
defendendo a bandeira da gangue Lado A, Lado B
é porque bandeira você quer morrer?
Espero que nenhuma pode crer

Há dois amores somente
Não pode odiar a um e amar o outro?
Há dois amores somente
Não pode odiar a um e amar o outro?
Há dois amores somente
Não pode odiar a um e amar o outro?
Ou se apegará a um e menosprezará o outro?

Quando os fogos estouram no céu
Disgraça é eminente, nunca é diferente
Morre gente, titia pressente e fecha a janela
É tiroteio, é morte, é guerra
Na seqüência o saldo do confronto
Pai e mãe chorando, filho foi pro tombo
Tá disfeito os sonhos da família
Os pais esperavam que ele fosse alguém um dia
Brutalidade, apenas 4 de idade
Agora é só o ódio, a dor, velório
Sempre o mesmo argumento do perito:
__ Ae, o tiro partiu da arma do bandido, amigo. (Aahhh)
Bagulho sinistro, tu fica meio perturbado
De tanto ver amigo derrubado
Volta na mente a imagem do p*** fardado
soprando cano, após ter disparado
E adivinha quem eu vejo tombado?
Eu. Tô legal!
Que Deus ajude, (?) o funeral
que evite os irmãos em estado terminal
sufocados na UTI do hospital, menos mal
Se fosse diferente, mas aqui não é irmão
Infelizmente, em casa reunido
Almoço, mulher e filhos, esculachado
tratado pior que um bandido
Aí família, tu sabe como é:
Tapa na lata na frente da sua mulher.
O sangue sobe mermão, mas não há reação
O cano na sua lata, está pra trás o (?)
se acionado: Bum! Mais um finado.
Envolvimento com o tráfico. Caso encerrado.

Na bolação vou seguindo a minha sina
Morro do Zimbo, polícia, morte e jogatina

"(?) os homens lentamente. Egoísmo por egoísmo,
mundo desnaturado que se (?)
Enquanto no meio, os outros morrem de fome
morrem de fome, morrem de fome, morrem de fome,
morrem de fome, estendendo os seus braços" Bum
Não fica nenhum
Os (?) avisaram da chegada
Não fique parado não dê mancada,
mais uma operação policial
Te deixam jogado na pista
Te tratam feito um animal
Choque, tu sabe como é a BOPE
Dá de frente com eles, é dá de frente com a morte
Ficar vivo é questão de sorte
Não que pá alguém se importe muito, se pá
Mais um presunto, fim do assunto
Mais um hóspede eterno na cidade do pé junto
Quem será o próximo eu não sei
Só sei que corri, temia pelo meu fim
Não é por covardia, mas é que eu vivo dia a dia
Já vi o sofrimento de muitas famílias, inclusive a minha
Perdi parentes e amigos que felizmente
hoje não estão mais comigo
Eu tô cansado de ver favela num mó lazer
e no momento seguinte 1,2,3,4 (?)
colocam tudo a perder
Descem do carro cheio de marra
e tá ligado no que vai acontecer
Pá, Pá
Bang, Bang
Amigos tombados em meio a poça de sangue
defendendo a bandeira da gangue Lado A, Lado B
é porque bandeira você quer morrer?
Espero que nenhuma pode crer

Há dois amores somente
Não pode odiar a um e amar o outro?
Há dois amores somente
Não pode odiar a um e amar o outro?
Há dois amores somente
Não pode odiar a um e amar o outro?
Ou se apegará a um e menosprezará o outro?

Quando os fogos estouram no céu
Disgraça é eminente, nunca é diferente
Morre gente, titia pressente e fecha a janela
É tiroteio, é morte, é guerra
Na seqüência o saldo do confronto
Pai e mãe chorando, filho foi pro tombo
Tá disfeito os sonhos da família
Os pais esperavam que ele fosse alguém um dia
Brutalidade, apenas 4 de idade
Agora é só o ódio, a dor, velório
Sempre o mesmo argumento do perito:
__ Ae, o tiro partiu da arma do bandido, amigo. (Aahhh)
Bagulho sinistro, tu fica meio perturbado
De tanto ver amigo derrubado
Volta na mente a imagem do p*** fardado
soprando cano, após ter disparado
E adivinha quem eu vejo tombado?
Eu. Tô legal!
Que Deus ajude, (?) o funeral
que evite os irmãos em estado terminal
sufocados na UTI do hospital, menos mal
Se fosse diferente, mas aqui não é irmão
Infelizmente, em casa reunido
Almoço, mulher e filhos, esculachado
tratado pior que um bandido
Aí família, tu sabe como é:
Tapa na lata na frente da sua mulher.
O sangue sobe mermão, mas não há reação
O cano na sua lata, está pra trás o (?)
se acionado: Bum! Mais um finado.
Envolvimento com o tráfico. Caso encerrado.

Na bolação vou seguindo a minha sina
Morro do Zimbo, polícia, morte e jogatina

"(?) os homens lentamente. Egoísmo por egoísmo,
mundo desnaturado que se (?)
Enquanto no meio, os outros morrem de fome
morrem de fome, morrem de fome, morrem de fome,
morrem de fome, estendendo os seus braços"
publicidade