Berimbau batia
Cabaça gemia
Moeda corria
Eu queria pular...
Ah! Ah!
Eu queria pular...
Ah! Ah!

Escrevi meu nome num fio de arame
E quem quer que me chame
Vai ter que gritar

Eh Camará, Eh Camará

Eh fuzuê
Parede de barro
Não vai me prender (4x)

Maria Macamba perdeu a caçamba
No cateretê
Sambou noite e dia
Que até parecia que ia morrer

Nasceu no quilombo
Aprendeu levar tombo
No canjerê

Foi de cesta no lombo
Com água e pitombo
Trocar por dendê, fuzuê

Eh fuzuê
Parede de barro
Não vai me prender (4x)

Tinha um pé de coqueiro
Cobrindo o terreiro
De onde eu nasci

Eu vi que o coco era oco
E valia tão pouco
Para se subir

Mas eu com um taco de toco
Batia no coco
Pro coco cair

E pegava no coco
Quebrava num soco
Sem repetir, fuzuê

Eh fuzuê
Parede de barro
Não vai me prender (4x)
Berimbau batia
Cabaça gemia
Moeda corria
Eu queria pular...
Ah! Ah!
Eu queria pular...
Ah! Ah!

Escrevi meu nome num fio de arame
E quem quer que me chame
Vai ter que gritar

Eh Camará, Eh Camará

Eh fuzuê
Parede de barro
Não vai me prender (4x)

Maria Macamba perdeu a caçamba
No cateretê
Sambou noite e dia
Que até parecia que ia morrer

Nasceu no quilombo
Aprendeu levar tombo
No canjerê

Foi de cesta no lombo
Com água e pitombo
Trocar por dendê, fuzuê

Eh fuzuê
Parede de barro
Não vai me prender (4x)

Tinha um pé de coqueiro
Cobrindo o terreiro
De onde eu nasci

Eu vi que o coco era oco
E valia tão pouco
Para se subir

Mas eu com um taco de toco
Batia no coco
Pro coco cair

E pegava no coco
Quebrava num soco
Sem repetir, fuzuê

Eh fuzuê
Parede de barro
Não vai me prender (4x)
publicidade